Avaliação Postural: 5 Dicas para melhorar a avaliação postural

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Avaliação Postural: 5 Dicas para melhorar a avaliação postural

A avaliação postural é amplamente utilizada por fisioterapeutas com o objetivo de compreender o alinhamento dos segmentos corporais, quais serão os seus objetivos terapêuticos e técnicas realizadas. É o passo inicial para iniciar qualquer tratamento e, realizada da forma correta, promove sucesso no tratamento proposto, evitando tratamentos sem sucesso. É utilizada em diversos áreas da Fisioterapia, com intuito de correção ou “alinhamento” postural que ocasionam desequilíbrios e disfunções músculo-esqueléticas nos indivíduos, visto que, más posturas geram uma sobrecarga articular e das cadeias musculares. Desta maneira profissionais que atuam com postura devem promover uma avaliação postural criteriosa e detalhada.

Cada indivíduo apresenta características específicas de postura que podem ser influenciadas por vários fatores como: anomalias congênitas e/ou adquiridas, má postura, obesidade, alimentação inadequada, atividades físicas sem orientação e/ou inadequadas, distúrbios respiratórios, desequilíbrios musculares, frouxidão ligamentar e doenças psicossomáticas.

A boa postura é aquela que melhor ajusta nosso sistema musculoesquelético, equilibrando e distribuindo todo o esforço de nossas atividades diárias, favorecendo a menor sobrecarga em cada uma de suas partes.

Pensando nisso separamos algumas dicas e critérios para uma avaliação fidedigna e mais eficaz para você:

  1. Avaliação: Avalie seu paciente com a vestimenta adequada desde o primeiro contato. A utilização de roupas adequadas evita erros e falsos positivos durante a avaliação. Desta forma, é importante sinalizado o paciente através de LEMBRETES PRÉVIOS a consulta;
  2. Planos e Posições:Avalie o paciente em todos OS PLANOS E POSIÇÕES propostas pela avaliação postural. É comum profissionais avaliarem apenas os pacientes nas posturas anteriores e posteriores, esquecendo posicionamentos laterais e movimentos compensatórios que podem ser vistos durante a avaliação;
  3. Reavaliação: Organize seu plano de REAVALIAÇÃO conforme o prognóstico e avaliação inicial;
  4. Objetivos: Alinhe os OBJETIVOS TERAPÊUTICOS baseado no resultado da sua avaliação;
  5. Comunicação: Envie ao seu paciente a avaliação com os objetivos propostos. Desta maneira o paciente acompanhará o tratamento e indicadores de desempenho, entendo os avanços terapêuticos e VALORIZANDO o trabalho desempenhado.

Referências:

Análise comparativa entre avaliação postural visual e por fotogrametria computadorizadaRev. bras. fisioter. vol.13 no.4 São Carlos July/Aug. 2009  Epub Aug 21, 2009

Provas e funções musculares, Kendall, Florence Peterson

Veja Também

Fisioterapia

O uso de ventosas em dores na coluna (Parte II)

A lombalgia é considerada um problema de saúde pública que pode afetar qualquer pessoa. Cerca de 80% das pessoas sofrerão ao menos um episódio de