Tratamento Fisioterapêutico reduz significativamente dores na cabeça e face, em pacientes com Disfunção na ATM.

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Tratamento Fisioterapêutico reduz significativamente dores na cabeça e face, em pacientes com Disfunção na ATM.

Foi desenvolvido um estudo de caso que surge na pesquisa médica e psicológica, como uma forma de análise aprofundada de um caso individual de certa patologia. Nas Ciências Sociais caracteriza-se como uma metodologia de estudo que se volta à coleta de informações sobre um ou vários casos particularizados. É também considerado como uma metodologia qualitativa de estudo, pois não está direcionada a se obter generalizações do estudo e nem há preocupações fundamentais com tratamento estatístico e de quantificações dos dados em termos de representação e/ou de índices. Pode-se finalizar o estudo de caso tipificando um indivíduo, uma comunidade, uma organização, uma empresa, um bairro comercial, uma cultura, etc (BARROS e LEHFELD, 2001).

Toda a pesquisa se passou no consultório de fisioterapia, na cidade de Ourinhos, SP, com uma paciente do sexo feminino, com 54 anos de idade, funcionária pública, e diagnóstico clínico de disfunção da articulação  temporomandibular e que nunca passou por fratura ou luxação da ATM. O sujeito aceitou sua participação no estudo por meio de um termo de consentimento livre e esclarecido.

Na inspeção pode-se observar má oclusão dentaria, tensão diurna, avaliada pela marca dos dentes na língua e um pequeno desvio à direita quando se realizava o movimento de abertura da boca. O ruído articular era audível no movimento de lateralidade esquerda e a dor era referida nos movimentos de lateralidade esquerda e direita. Para auscultar o ruído articular foi utilizado um estetoscópio da marca Premium.

No exame clínico evidenciou-se a palpação dos músculos masseter, temporal (3 porções) pterigóideo medial, pterigóideo lateral (inferior e superior), escaleno, trapézio, suboccipital e esternocleidomastoídeo, para diagnosticar e identificar a origem anatômica da dor e os triguer points.

Constatou-se, então, pontos dolorosos nos músculos temporal, masseter, suboccipital e pterigóideo lateral bilateralmente, escaleno direito e trapézio direito. Os testes para diagnosticar se a dor era de origem muscular ou articular foram realizados e definiram-se problemas musculares bilateralmente e articular a direita.

Para finalizar a avaliação foi analisada a postura da paciente e o que mais chamou a atenção foi o ombro direito mais elevado (contração do trapézio direito) e elevação da cabeça com compressão do músculo suboccipital.

A partir de então se deu inicio ao tratamento que compreenderam dez sessões, (2 vezes por semana, 50 minutos cada sessão) utilizando como recursos a terapia manual com distração craniana, alongamento capsular, massagem para liberação dos triguer points e remodelação do disco (com auxilio do hiperbolóide).

Utilizou-se também, como conduta, a aplicação do ultra-som da marca KLD, modelo AVATAR 3, no modo pulsado, frequência de 3,0 MHz com dose de 1,0 W/cm2, por 1 minuto e o laser arsenieto de gálio, da marca KLD, no modo contínuo em pontos próximos e sobre área de dor, com dose de 4J/cm2.

Na quinta sessão (dor já controlada) foi inserido na conduta exercícios de propriocepção da ATM com o auxilio de um espelho. Pedia- se que a paciente realizasse movimentos de abertura e fechamento da boca olhando no espelho para evitar que houvesse desvios para lateral.

Nas três ultimas sessões além de continuar com o protocolo supracitado inseriu-se movimentos ativos livres de protrusão, retração, abertura, fechamento, lateralidade esquerda e lateralidade direita, evoluindo para movimentos resistidos.

Além do tratamento que foi oferecido no consultório a paciente recebeu orientações para que nos momentos de dor fizesse a auto-massagem, repousasse a língua no céu da boca e aplicasse bolsa de água quente.

RESULTADOS

Ao final das dez sessões a paciente foi reavaliada e os resultados foram satisfatórios. Relatou-se diminuição das dores que sentia na face (região de masseter), na cabeça (região de suboccipital e temporal) e nos ombros (região de trapézio), diminuição da tensão muscular geral, controle da tensão diurna (verificado através da marca dos dentes na língua da paciente), movimento de abertura e fechamento da boca sem desvios para lateral e melhora no posicionamento do pescoço e do ombro. Os estalidos durante a lateralidade esquerda diminuíram, mas não foram zerados.

O artigo completo você pode acessar pelo link: http://revistadireitobh.estacio.br/index.php/revistahorus/article/viewFile/4090/1887

 

 

Veja Também

Fisioterapia

O uso de ventosas em dores na coluna (Parte II)

A lombalgia é considerada um problema de saúde pública que pode afetar qualquer pessoa. Cerca de 80% das pessoas sofrerão ao menos um episódio de